RACIONALISMO CRISTÃO - 19

CONSTRUINDO A FELICIDADE

É preciso que as criaturas se capacitem de que precisam viver; é preciso prepararem-se para um viver que poderá ser bom ou mau, dependendo da situação política do mundo. Nem tudo são flores na Terra, há muitos espinhos, mas para que esses espinhos não firam demais é preciso cortá-los, mas cortá-los com inteligência, evitando os ferimentos, porque estes, muitas vezes, marcam e ficam durante uma existência. Os espinhos da vida são comuns a todos, vêm espontaneamente, mas muitos são criados pela própria criatura quando não sabe viver, apenas quer dar expansão ao seu "eu", à sua vontade para o mal, com o que cria as dificuldades, e, assim, surgem maiores espinhos.


Se na Terra há criaturas infelizes nem todas o são, porque há muitas que sabem conquistar felicidade. Não devem, portanto, queixar-se; devem, sim, procurar a causa dos seus sofrimentos através de um exame de consciência bem feito. E depois de terem certeza absoluta do que concorreu para o sofrimento, ajam, então, como criaturas esclarecidas e conscientes do que é a vida e certas de que precisam viver, de que têm que lutar para viver neste mundo.


Há lares felizes e lares infelizes, e, no entanto, todos podem ser felizes, porque a felicidade não consiste na riqueza, nem nas honrarias; a felicidade reina entre os seres simples, aqueles que não têm orgulho, aqueles que são comedidos e sensatos, e foge daqueles que são pretensiosos e orgulhosos, daqueles que olham a vida acintosamente. Assim sendo, todos devem fazer por criar um ambiente de paz e de alegria nos seus lares, porque isso é que atrai a felicidade e, portanto, a saúde da alma e a do corpo. Há muitas criaturas enfermas do corpo, enfermidades provenientes do mau ambiente criado por elas. Um espírito combalido, perturbado, não pode guiar bem seu corpo, que é o carro de que ele se serve para se locomover neste mundo e dar a máxima produção. As criaturas que não têm a consciência tranqüila, que vivem em sobressaltos, que vivem em constantes irritações, não podem gozar paz de espírito, elas têm que, invariavelmente, sofrer as conseqüências do seu mau estado psíquico.


Criar, pois, um ambiente de paz e harmonia nos lares é o dever dos cônjuges. E todos os que têm filhos devem guiá-los com serenidade, ensiná-los a terem espírito de justiça, a serem francos e leais, fazendo com que vivam de alma aberta, agindo sempre com sinceridade, guiá-los para que fujam da hipocrisia e se sintam sempre à vontade com os seus pais, que vejam neles os melhores amigos e conselheiros, para que não procurem conselhos fora do lar. Os pais devem fazer sentir aos filhos que não devem esconder coisa alguma do que pensam, e para que isso se dê é preciso que os pais ajam com inteligência para com os filhos, não os apavorem, não os amedrontem e, sim, os chamem a si pelo carinho e pela palavra enérgica mas amiga, quando precisarem doutriná-los e corrigi-los. Há espíritos bem rebeldes em certos lares e isso tem uma grande importância na vida das famílias. É preciso que se reconheça a causa dessa rebeldia para, justamente, poder conduzi-los como é preciso.


A um espírito rebelde não se deve fazer ameaças mas, sim, chamá-lo à razão pela palavra enérgica, amiga, para que ele tenha confiança nos pais e reconheça o interesse deles em vê-lo feliz. Há muitos pais que não sabem guiar os seus filhos, porque fazem regra geral da educação que ministram, não sabem estudar o temperamento dos filhos, pois nem todos os espíritos possuem o mesmo temperamento. Há espíritos que encarnam e que ao fim de pouco tempo estão deixando perceber que vão ser revoltados, renitentes, teimosos e há aqueles espíritos dóceis, maleáveis, mais fáceis, portanto, de serem corrigidos e por isso os pais não devem usar dos mesmos processos de educação, dos mesmos modos para com todos.


É preciso tática, agir sempre com justiça, nunca desfazendo de um filho diante dos outros, mas guiando-os todos, chamando-os todos a si e empregando para cada qual, um meio diferente de guiar, de educar, uma palavra diferente e sempre adequada ao temperamento de cada um. É nisto que consiste preparar a felicidade futura dos filhos. A desarmonia dos lares muitas vezes provém de desinteligências por parte dos pais na educação dos filhos. Os filhos devem ser o traço de união dos pais e não concorrerem para a sua desunião. Desde que os pais saibam agir com inteligência e com calma, moderação e ponderação, todos se poderão entender, mas é preciso que não se esqueçam de que têm que dominar os ímpetos, o seu "eu", o célebre gênio, que é a desgraça de muita gente, por levar a desunião e a separação a muitos casais.


Os espíritos são de categorias diferentes na mesma família. Quanto mais entre seres que se unem de famílias diferentes, com caracteres diferentes, com modos de pensar diferentes! O principal é fazer compreender aos casais a necessidade de que se uniram para cultivar a felicidade dos filhos. Saibam viver, aprendam a construir a sua própria felicidade.

TODAS AS PÁGINAS DO LIVRO

 1- A ARTE DE VIVER
 2- A CONDUTA E A LEI DO RETORNO
 3- A INDIFERENÇA
 4- A MENTIRA NÃO AJUDA AO PROGRESSO
 5- A MULHER
 6- A PAZ ESPIRITUAL SUPERA REVESES
 7- AJUDANDO UNS AOS OUTROS
 8- ANIMAL HUMANO
 9- ÂNIMO E VONTADE FORTES
10- ÂNIMO PARA VIVER
11- APRENDER A VIVER
12- AUSÊNCIA DE COMPREENSÃO
13- AUTOCORREÇÃO
14- CAMINHOS SEM SEGREDOS
15- CARÁTER DAS CRIANÇAS
16- CAVALHEIRISMO
17- CLARIVIDÊNCIA
18- CONHECER PARA NÃO TEMER
19- CONSTRUINDO A FELICIDADE
20- CONSTRUIR OU DESTRUIR A FELICIDADE
21- CRÍTICA DESAIROSA
22- CUIDEMOS DEVIDAMENTE DA CRIANÇA
23- CULTIVO DOS SENTIMENTOS
24- CURA DE OBSEDADOS
25- CURANDO A OBSESSÃO
26- DIVERSÃO PERIGOSA
27- DOMINANDO O GÊNIO
28- DOMÍNIO DO "EU"
29- DUAS VIDAS
30- EDUCAÇÃO E DECADÊNCIA
31- EDUCAÇÃO FALHA
32- EDUCAR OS SENTIMENTOS
33- EGOÍSMO E AUTORITARISMO
34- EGOÍSMO, FONTE DE SOFRIMENTOS
35- ENERGIZAR
36- EQUILÍBRIO TRAZ TRANQUILIDADE
37- ERROS DESCULPÁVEIS
38- ESCLARECER-SE PARA SER FELIZ
39- ESPIRITUALIZAÇÃO, ÚNICA VIA PARA A FELICIDADE
40- EVITANDO FRACASSOS
41- EVOLUÇÃO SEM MEDO
42- EXERCÍCIO DO LIVRE-ARBÍTRIO
43- FALAR AOS ESPÍRITOS
44- GRAUS DE ESPIRITUALIDADE
45- IGNORÂNCIA DA VERDADE
46- IGNORÂNCIA E CONFIANÇA
47- IGNORANDO A ESPIRITUALIDADE
48- IMPORTÂNCIA AO QUE IMPORTANTE É
49- IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA
50- IMPORTÂNCIA DA PSICOLOGIA
51- MALES PSÍQUICOS
52- MUDANÇA DE HÁBITOS
53- O CAPRICHO
54- O LIVRO DO TEMPO
55- ORIENTAR SEM COAÇÃO
56- PENSAMENTO, ALAVANCA DO SUCESSO
57- PERSONALIDADE ESPIRITUAL
58- REAGINDO AOS SOFRIMENTOS
59- SER ESPIRITUALISTA
60- VENCENDO OBSTÁCULOS
61- VÍCIO DE RELIGIOSIDADE
62- VIVER COM REALISMO

FONTE DO TEXTO ACIMA

LUIZ DE MATTOS - CLÁSSICOS DO RACIONALISMO CRISTÃO - Volume 1 - 2ª edição - Centro Redentor - Rio de Janeiro - 2001.
Outras obras do Autor: Pela Verdade, 9ª ed. - Vibrações da Inteligência Universal, 9ª edição.

PLANO DO TRABALHO

A obra Clássicos do Racionalismo Cristão tem por objetivo reunir os trabalhos de Luiz de Mattos, Luiz Alves Thomaz e Antonio Cottas, respectivamente, fundadores e consolidador da Doutrina. O Centro Redentor editará volumes sucessivos, sendo que os iniciais da série conterão os pronunciamentos de Luiz de Mattos, codificador doutrinário do Racionalismo Cristão.

O AUTOR DESTE WEBSITE

Busco oferecer neste sítio uma variedade abrangente de textos espiritualistas salutares e edificantes, de várias fontes, para que todos tenham a oportunidade de enriquecer e ampliar a sua cultura e desenvolver a consciência, mediante a sintonia com idéias e ensinamentos elevados. Concordo com muitas das idéias apresentadas mas não necessariamente com todas.



Sorria ao acordar
e antes de dormir!

Muito obrigado pela visita,
veja sempre as novidades!








Google
 
Web www.eurooscar.com










Se não vê à esquerda o menu
rolante do site, clique aqui.

If you do not see the left
scrolling menu, click here.






Home