REVISTA AMALUZ - 16



SERÁ QUE AS "MUDANÇAS TERRESTRES"
PODEM SER MODIFICADAS? - 2

POR CHRISTAN HUMMEL

Christan Hummel -
Earth Transitions 4603 Twin Haven,
Oceanside, CA 92057 - Fone: (760) 722-5555
http://www.earthtransitions.com

Obs. de E.O.:
Dividi o texto em 2 partes, para a INTERNET


PARTE 2

Ao chegar em casa, pessoas nos telefonaram contando-nos de numerosas predições segundo as quais a área sofreria uma grande erupção vulcânica e um terremoto muito intenso. Essas previsões foram feitas por estudiosos de sismos, bem como por canais. Quando estávamos em casa, outro amigo nos deu um endereço de website que monitora atividades de terremoto naquela área. Descobrimos que em algumas semanas a atividade sísmica diminuíra para 30 ou menos terremotos de baixa intensidade (abaixo de l,0) por dia, em comparação com 300! Parecia, portanto, haver uma correlação entre tensão geopática e atividade sísmica.


Mas a teoria foi comprovada mais duas vezes. Em Los Angeles, durante anos, tanto cientistas como médiuns previram que o "grandão" em breve atacaria. De acordo com cientistas, um terremoto com magnitude 8,0 acabaria atingindo a área de Los Angeles em razão da atividade sísmica que vinham detectando no correr dos anos. Eles só não sabiam quando.


Dentro de um período de três meses, de março a maio de 1998, um grupo de quatro pessoas foi trabalhar na remoção da tensão geopática das várias cidades da área de Los Angeles. Naquela época, purificaram mais de 15 cidades de tensão de geopática. Acontece que eles estavam também purificando as cidades mais próximas da falha de Santo André. "Coincidentemente" a extremidade meridional dessa falha atravessa o Mar Salton. Num dia de maio, sem muito alarde, noticiou-se que já NÃO havia qualquer ameaça de um terremoto de grandes proporções na área de Los Angeles, que a tensão sísmica fora reduzida!


Desde então aprendemos a trabalhar com os devas de uma linha de falha específica, pedindo-lhes que peguem as freqüências de várias fitas que invertem o giro negativo da linha de falha, e os devas, se isto lhes for solicitado, transmitirão essas freqüências ao longo da linha de falha. Presenciamos isso acontecer quando estávamos em Hayward, Califórnia, diretamente em cima da falha de Hayward. Em segundos, sete de nós presentes sentiram uma troca perceptível de energias na linha de falha. Antes disso sentimos dor de cabeça e náusea em decorrência da energia de tensão emitida pela falha. Depois de segundos trabalhando com o deva da linha de falha, as energias mudaram e os sintomas físicos desapareceram.


Os índices de criminalidade também são reduzidos drasticamente ao se remover essa tensão geopática. Em Denver, a primeira cidade onde foram usados os harmonizadores, colocaram os harmonizadores diretamente sobre as principais linhas geopáticas que atravessam a cidade. Os harmonizadores conseguiram inverter o giro negativo das linhas geopáticas, e em conseqüência, no primeiro ano do experimento, o índice de criminalidade de Denver diminuiu 36%. No ano seguinte, diminuiu 51%. Embora isso fosse fantástico, existia a possibilidade que ser uma coincidência, ou conseqüência de outros fatores. Porém, em Los Angeles, relatou-se que os índices de criminalidade durante o período de três meses de realização da purificação geopática diminuiu 30%. Também em San Diego, onde a purificação geopática e a rede de harmonizadores estavam em operação, relatou-se uma redução de 23% dos crimes. A probabilidade de coincidência estava sendo descartada a cada nova cidade.


Depois de verificar que era possível realizar o trabalho geopático e dévico a longa distância, pediram-nos que realizássemos uma purificação geopática na Cidade do México na época dos incêndios, em maio. Um ano antes, em maio de 1997, Ann Meril e eu fomos orientadas a ir à Cidade do México e trabalhar com os devas de lá. Como era a semana anterior na qual Drunvalo Melchizedek e uma equipe estavam programados para ir para lá para conduzir seus testes de remoção de poluição, achamos que estávamos assentando um tipo de trabalho dévico de base para aquele projeto. Quando perguntamos interiormente por que estávamos ali, nos disseram que nosso trabalho seria usado numa data futura, como uma vitamina liberada com o passar do tempo que seria ativada na hora certa.


Depois de voltar para casa, vários meses se passaram, e vimos que nada do que fizéramos tivera qualquer efeito sobre qualquer coisa. Tivéramos notícias de Drunvalo e Slim dizendo que pouco depois de colocar na cidade suas primeiras três unidades, houve erupções diárias de cinza vulcânica do Monte Popocatepal (abreviando, Popo.) Estava sendo expelida tanta cinza que a cerca de 65 quilômetros de distância, a Cidade do México estava coberta por 2,5 centímetros das cinzas das erupções vulcânicas. O grupo colocara uma unidade R-2 (um harmonizador com uma espiral acu-vac) sobre uma das principais linhas geopáticas vindas do vulcão. Aparentemente, as erupções vulcânicas eram uma forma de diminuir a tensão geopática. O projeto no México foi cancelado e só ficamos sabendo disso, além do fato de os níveis de poluição terem se reduzido em quase10%.


Um ano depois, irromperam grandes incêndios ao sul da Cidade do México (perto de Popo), sem controle, queimaram mais de 7 milhões de acres. Slim conversou com um pesquisador que informou que os incêndios estavam irrompendo devido ao magma que estava chegando próximo do nível do solo e pondo fogo no mato dos arredores. Slim nos chamou no início de junho, pedindo-nos que realizássemos uma purificação geopática na Cidade do México, suspeitando que a atividade geopática estivesse ligada à atividade do magma. Novamente, um grupo de cinco de nós se reuniu e realizou uma purificação geopática a distância, desta vez nos ligando à rede dévica que estabelecêramos um ano atrás. Como esse sistema dévico estivesse a postos, conseguimos facilmente realizar a purificação geopática a partir de nossa sala de estar na Califórnia.


Como parte da meditação, ligamos o vulcão na Cidade do México a outros vulcões, subindo até o Alasca, e descendo até o Peru. Disseram-nos que isso ajudaria a distribuir a outras áreas o acúmulo de energia que se formara na área da Cidade do México. Horas depois da purificação geopática, houve temporais na Cidade do México que começaram a apagar os incêndios. Além disso, em um dia de purificação, houve uma avalanche no Monte Ranier em razão de um aumento súbito da temperatura. No dia seguinte, o rio Merced, em Yosemite, começou a transbordar, novamente em razão de um aumento súbito da temperatura. Como esses eram dois do pontos dévicos aos quais nos ligamos, parece que o reino dévico utilizou esses pontos como válvulas de escape para dispersar parte da energia acumulada na Cidade do México.


Além disso, em 9 de junho, o dia em que realizamos as ligações e a purificação geopática, os terremotos em Long Valley Caldera (próximo dos Lagos Mammoth, Califórnia) passaram de 29/dia a 400/dia, atingindo um deles a 5,1 na escala Richter! No dia seguinte, houve 900, então 200, então 900 em 12 de junho. Depois disso, baixaram para 60/dia, e então para 30/dia. Esse foi mais um dos pontos da rede dévica da cadeia vulcânica. Então, parece que a área de Mammoth também recebeu um pouco da tensão da Cidade do México.


Depois que a notícia sobre o sucesso da sessão de purificação se espalhou na Cidade do México, pessoas de Orlando, Flórida, começaram a nos telefonar, pois estavam passando por alguns dos piores incêndios de sua história. Mais de l/4 de milhão de acre estava se queimando fora de controle há mais de um mês. A Flórida estava no meio da pior seca de sua história e os meteorologistas não previam qualquer mudança até setembro. Esse calor estava também alimentando os incêndios, tornando-os impossível de conter.


Em 2 de julho, um pequeno grupo de pessoas da Flórida, auxiliado a distância por várias pessoas do sul da Califórnia, participou dos esforços de purificação geopática da Flórida central. A equipe foi trabalhar na quinta-feira, 2 de julho, e dentro de horas caiu a primeira chuva na área. Logo depois de serem realizados os encadeamentos dévicos na área, e a purificação geopática ser encerrada, a onda de calor inesperadamente se dissipou e caiu chuva na área, permitindo aos bombeiros conter os incêndios. O Comandante dos Bombeiros disse que a chuva inesperada foi a "melhor coisa que tinha acontecido em muito tempo."


Algumas das mudanças mais emocionantes que testemunhamos têm relação com as águas. Neste quesito, vimos água mudar de cor, passando de vermelho acastanhado, tanto na costa do Pacífico como do Golfo, a azul esverdeado e verde. Vimos água passar de poluída e morta a límpida e cheia de vida. Observamos a Maré Vermelha, tanto no Golfo do México como no Pacífico, retroceder inesperadamente, e em áreas antes consideradas mortas, a vida marinha agora floresce.


Um fenômeno interessante é o surgimento de baleias e golfinhos em áreas onde estão sendo realizados trabalhos com os harmonizadores. Em três localidades diferentes, Seattle, Los Angeles e Cape Cod, Massachusetts, apareceram baleias e golfinhos em baías e portos que nunca freqüentaram. Pareciam atraídos pela energia dos harmonizadores e pelas freqüências de purificação emitidas. Numa ocasião, ao largo da costa da Colúmbia Britânica, numa excursão de observação de baleias, todas as 97 baleias orca que vivem na área cercaram nosso barco. Tinham invertido seu rumo norte seguindo a costa para vir até onde estávamos e, de acordo com o capitão do barco, estavam se deslocando a uma velocidade recorde para nos encontrar. Todos os três bandos de orcas residentes rodearam nosso pequeno barco, quando uma das baleias veio diretamente a nós, indo para baixo de nosso barco. Segundo a pessoa em nosso barco que possuía capacidade de se comunicar com as baleias, esta baleia era a líder do bando e estava recebendo as freqüências do harmonizador e das fitas que tínhamos conosco e transmitindo-as ao restante do bando com o fim de emiti-las nas águas por elas patrulhadas. Se as baleias são capazes de receber essas freqüências e as emitir a todos os oceanos, as implicações desse fato são vastas. Significa o potencial para uma cura total de nossos oceanos.


Esses são apenas alguns dos acontecimentos por nós experienciados diariamente. O resultado disso é que já não acredito que algo seja impossível. A Mãe pode fazer qualquer coisa. E ela pode fazê-lo num instante. Como o Curso em Milagres ensina: "Não existe ordem de magnitude em milagres." O buraco na camada de ozônio pode ser facilmente corrigido. Sabe-se que os raios restauram o ozônio. A Terra não pode criar uma tempestade de raios nos locais em que o ozônio necessita de reparos? Se os devas conseguem facilmente mudar a cor, temperatura e teor de poluição das águas, não podem mudar a temperatura de uma calota polar em processo de derretimento? Se os devas são capazes de tomar as freqüências de uma zona de falha e neutralizá-las, não podem fazer o mesmo com o HAARP? Sons simples podem converter elementos poluentes presentes na atmosfera em elementos não-poluentes. A remoção de tensões geopáticas pode reduzir bastante as tensões sísmicas, incêndios, ondas de calor, crimes, tempestades e sabe-se lá o que mais?


Estamos vivendo num mundo de possibilidades excitantes. Tecnologias de ponta estão prestes a abrir caminho e entrar no mercado quando a resistência financeira e governamental à sua existência for removida. Testemunhei pessoalmente alguém viajar meio país num carro movido a água. As estruturas estabelecidas que impedem que tais tecnologias sejam abertamente utilizadas são as mesmas estruturas que têm sua força diminuída à medida que os campos magnéticos começam a se deslocar para zero. À medida que esses mesmos campos magnéticos enfraquecem, aproximamo-nos mais daquela zona onde o pensamento mais imediatamente se manifesta, tornando-se realidade. O que queremos sonhar?


Para receber um pacote de 130 páginas com informações sobre os esforços de remoção de poluição, purificação geopática e trabalho com o devas, por favor envie $15 (dólares norte-americanos) para: Earth Transitions 1726 Lemon Hights Oceanside, CA 92057 USA.

Parte 1

ÍNDICE GERAL

Todas as páginas desta seção

FONTE DO TEXTO

(http://www.amaluz.com.br). Publicado originariamente na revista Amaluz, que não mais tem sido editada, embora fosse uma ótima publicação. Fazemos votos de que possa renascer, com a mesma qualidade de antes.




Google
 
Web www.eurooscar.com

www.eurooscar.com - Autor: Euro Oscar - © 2008
Direitos Reservados - Contato: eurooscar@gmail.com


Se veio até aqui por um link externo e não vê o menu fixo à esquerda, clique aqui, para melhor usar e controlar o site.


Página inicial do site