REVISTA AMALUZ - 36



O PORTAL DO PARADOXO - 2


CANALIZAÇÃO, em 15/ 10/ 1998:
GERMANE, ATRAVÉS DE LYSSA ROYAL



PARTE 2

Há um filme chamado Baraka que foi feito para criar este sentimento nas pessoas. Elas nem sempre o vêem desse modo, mas são apenas imagens. Começa com belas imagens de gente rezando, a seguir passa às imagens dos campos de concentração, derrubada das florestas tropicais — coisas assim. Mostra uma linda imagem do Ganges na qual as pessoas lavam roupas e crianças brincam — e um corpo queima numa pira. Meu irmão é amigo da pessoa que criou este filme, e este era o propósito dele.
Sim. É necessário um olhar penetrante e um coração aberto para entregar-se emocionalmente de forma plena a uma experiência como essa em vez de julgá-la. Se qualquer pessoa de seu mundo for capaz de entregar-se totalmente às emoções por trás destas experiências mais profundas de seu planeta, esse fato sempre conduzirá para aquele ponto de amor incondicional — sempre. Mas vocês precisam se entregar emocionalmente de forma total à experiência em vez de julgá-la, e isso tem sido muito difícil para a humanidade. Outro bom exemplo é o Dalai Lama e os demais sacerdotes tibetanos e lamas que assistiram ao assassínio e tortura de seus companheiros. Eles não buscaram vingança, e sim simplesmente assistiram com extrema compaixão. Quando os observamos, é como se seu próprio ser encarnasse o portal do paradoxo. Eles se tornam o portal, e qualquer pessoa que os encontrar pode então escolher atravessar esse portal e experimentar esse amor. Mas para isso é necessário compromisso emocional.


Há uma história sobre o fim da Segunda Guerra Mundial, quando os americanos estavam livrando os presos de um campo de concentração. Um oficial comandante estava liberando o campo. Os médicos ajudavam os sobreviventes. Ele estava tão horrorizado com o que viu que foi até o comandante do campo, atirou-o no chão e bateu nele. Então ele caiu em prantos, compreendendo o horror do que acabara de fazer, do que o comandante tinha feito e o que ele se tornara.


No fim o que todos desejam é amor, seja Hitler, seja o Dalai Lama. Todo mundo quer ser amado e ser livre para dar amor. Muitas vezes o que causa dor são as feridas que não cicatrizaram. As pessoas morrem de medo de se comprometer emocionalmente com os outros, mas esse compromisso emocional pode conduzir à libertação dos grilhões das feridas. Aquela pessoa, temos certeza, experimentou uma grande lição. Ele chegou a falar sobre como se modificou posteriormente?
Não recordo essa parte. Foi há muito tempo.


Cada um de vocês, em sua vida diária, já têm capacidade de viver no mesmo lugar, de corporificar o portal do paradoxo dentro de si. O desafio não é que lhes falte capacidade. O desafio está em se treinar novamente de forma que isto se torne a maneira habitual de viver. Neste momento, a maneira habitual de viver é com a polaridade. A polaridade sempre existirá por causa da natureza e do modelo desta realidade. O portal do paradoxo é construído tendo por base a polaridade, que é, dessa forma, um componente essencial. Então, não estamos falando sobre eliminar a polaridade, estamos falando sobre usá-la como a fusão para criar uma fonte de energia que o propulsione a outro nível de realidade. Esta é a chave do porquê vocês estabeleceram a polaridade para começo de assunto: É uma fonte de energia. Tudo é energia, então todos vocês estão fundindo o átomo, por assim dizer.

Os moradores das cidades gostam que um toque de excitação lhes chame a atenção, o que em geral fica um tanto suavizado pelo estilo de vida daqui deste vale [área de Phoenix.] Posso olhar três metros em qualquer direção e ver a ecologia intacta do deserto, então, vejo uma máquina gigantesca devastando a terra. Isso é bem tangível, um ponto de partida para as questões mais profundas que estão sendo discutidas aqui.


Se quisermos, talvez causemos nossa própria reviravolta paradoxal à situação. Todos vocês desejam tanto a união, aprender a viver juntos, que vocês estão se impondo uns aos outros para fazer prevalecer seu ponto de vista. Talvez seja uma atitude à Pollyanna, mas funciona mesmo.


Para dizer a verdade, parece uma perspectiva viável para os corretores de imóveis ambiciosos. [Risos.]


Bem, ainda não descobrimos formas de capitalizar o paradoxo, mas alguém de seu mundo vai descobrir. [Risos.]

O VAZIO E A LUZ, DUAS FORMAS IGUAIS

Pode falar um pouco sobre experimentar a porta para conseguir ver a luz?
Bem, primeiro temos o Vazio, que se poderia dizer seria a escuridão, mas se não se tem nenhuma luz para contrastar com o Vazio, perde-se alguma coisa? Estamos falando por meio de enigmas aqui apenas para estimular um pouco sua mente. Agora, se vocês vivessem numa realidade de intensa luz branca tão profunda quanto o Vazio, seu oposto, e não houvesse nada para projetar sombras, vocês saberiam o que é escuridão? Estas coisas sobre as quais estamos falando são alguns dos pensamentos que poderiam lhes ocorrer quando praticarem seu exercício da vela. Pode-se ver que escuridão e luz não podem ser definidas uma sem a outra. Ah, um paradoxo!


Com o correr do tempo, muitos passaram a pensar que escuridão significa o mal e luz o bem, e que vocês devem se concentrar apenas na luz. Sasha contou uma história muito pungente no passado sobre sua civilização. Toda civilização, claro, tem seus próprios desafios. Neste momento, o seu é a integração da polaridade e à volta ao coração. O desafio da civilização de Sasha (uma civilização das Plêiades) era que eles estavam tão concentrados na luz — queriam ver somente luz, não queriam ver a escuridão — que sua própria escuridão se manifestava para que tivesse de ser vista. Eles manifestaram isto na forma de uma peste que quase os dizimou. Isso aconteceu muitos milhares de anos atrás. Tentaram todos os medicamentos e curas, tudo, mas não conseguiam dar cabo desta peste. Tiveram de se voltar a seus próprios guias espirituais, a seus xamãs e gente santa, que finalmente chegaram à resposta: a peste era uma manifestação da escuridão que eles tinham negado.


Quando por fim aprenderam a integrar a escuridão, aprenderam um jeito de viver mais saudável e equilibrado. Como dissemos, a escuridão e a luz são ambas essenciais à existência nesta realidade, e seu desafio é aprender a equilibrar e usar cada uma delas. Se vocês observarem o Vazio‚ só há escuridão, não existe nada lá. Não é um vazio ruim‚ é apenas um vazio. Se olharem a luz, é apenas luz. Ambos são neutros nesse sentido. Se vocês observarem as pilhas que fazem funcionar seus rádios, elas têm uma extremidade positiva e uma extremidade negativa, como o Vazio e a luz. Apenas usando as pilhas com duas cargas, positiva e negativa, vocês conseguem criar uma energia para ligar seus rádios.


Com o universo acontece o mesmo. Vocês precisam do Vazio e precisam da luz. Basicamente, o Vazio foi caracterizado como feminino, a luz masculina nem positivo nem negativo, nem ruim nem bom, simplesmente Vazio/luz, masculino/feminino. Se o Vazio é caracterizado como feminino e considerado a escuridão — alguns dizem que o Vazio teve de existir antes da luz — vocês começam a ver o profundo poder do feminino, que todos vocês têm dentro de si. Não estamos falando do sexo feminino, e sim de energia feminina. Por que a energia feminina é tão temida, tão submersa, tão controlada...‚ é uma tremenda fonte de poder, nem ruim nem bom. Mas existem duas forças iguais.

Agora, em sua vida, em sua própria psique, todos vocês têm essas forças, e sejam homens, sejam mulheres, vocês apresentam um ciclo em sua psique ou espírito, no qual são mais dominados pela luz, e outro no qual são mais dominados pelo Vazio. Quando vocês estão no Vazio, trata-se de uma época introspectiva. Quando estão na luz, é tempo de se manifestarem em sua realidade. Trata-se de um ciclo muito natural. As mulheres (por sorte ou por azar‚ vocês escolhem) manifestam isto muitas vezes por intermédio do ciclo menstrual. Talvez vocês não achem muito bom quando estão naqueles dias, tornando-se introspectivas e intratáveis, mas uma das razões de ter se tornado um período tão incômodo para as mulheres no século vinte é que o poder desse período tem sido negado.


É um tempo natural de introspecção. Os homens também têm este ciclo fisiológico, que é uma manifestação de sua própria energia psíquica, um ciclo introspectivo e um ciclo de mais manifestação. Claro que o ciclo de cada homem é ligeiramente diferente. Culturas, tal como a maia, ensinaram sobre estes ciclos. Falando de forma genérica, alguns dos ensinamentos maias dizem que o ciclo dos homens tem 23 dias. Os homens presentes nesta sala talvez queiram reservar cinco minutos todos os dias para se voltar para dentro e ver em que ponto do ciclo se encontram. Então poderão passar a conhecer e prever seu ciclo de forma que quando estiverem na fase baixa possam usar a energia para um período introspectivo. Quando estiverem no ciclo de luz, ou de manifestação, podem se valer dele para criar em sua realidade as coisas que desejam criar — e o mesmo vale para as mulheres. Estes ciclos são naturais.


Passemos agora à idéia de escuridão ou mal. Se vocês não aproveitarem a energia destes ciclos, se não entrarem no Vazio quando for a época natural para entrar e ver sejam quais forem os tipos de batalhas arquetípicas que poderiam estar se desenrolando ali, ou sejam quais forem as questões que precisem ser tratadas; se deixarem passar um ciclo e então outro ciclo e mais outro, os demônios, por assim dizer, ficarão cada vez maiores até começarem a interferir em sua psique. Vocês passam, então, a manifestar em sua vida coisas que poderiam ter sido tratadas anteriormente em sua psique.


Muitas das tradições nativas do planeta ensinaram a usar estes ciclos e confrontar o Vazio no seu devido tempo, de forma que as coisas nunca tenham de ser manifestadas no físico. Vocês estão agora reaprendendo isto, talvez muitos de vocês. Talvez seja frustrante porque não lhes ensinaram as ferramentas. Embora agora haja seminários e coisas que lhes proporcionam as ferramentas, é necessário uma tremenda energia para reaprender, pois vocês passaram 20, 30, 40, 50 anos aprendendo uma coisa diferente. Freqüentemente, parece que desaprender toma muito mais tempo que a aprendizagem. Mas simplesmente ter conhecimento destas informações sobre estes ciclos de escuridão e luz dentro da psique lhes será de imenso valor.


Agora abram sua imaginação para a forma como vocês podem usar o conhecimento destes ciclos para seu bem maior. Se vocês meditarem ou até mesmo simplesmente devanearem, é possível que seu Eu Superior lhes diga a melhor maneira de lidar com estes ciclos. Contudo, é essencial que vocês se ocupem deles. O subproduto da utilização desta corrente de energia natural de seu ser é sua capacitação maior. Vocês estão usando sua energia conscientemente. Esteja ela se retraindo para dentro ou se manifestando externamente, ainda assim vocês a estão usando conscientemente. Isto significa que vocês sabem desenvolver e conservar poder. Vocês podem então ser manifestadores mais eficientes. Não estamos falando sobre manifestar coisas triviais, e sim sobre manifestar seu caminho de vida com a lucidez dos olhos de sua alma. Então, trata-se de uma manifestação geral — não necessariamente uma manifestação dos desejos do eu, e sim da perspectiva mais ampla de sua alma aqui na Terra. Isto ajuda a integrar essas energias e de fato os leva, por meio do portal do paradoxo, de volta para aquele ponto central de equilíbrio fora da polaridade localizado no coração.

Digamos que aconteça alguma coisa, se permanecermos neutros em relação a ela, não vamos captar a freqüência de julgamento. Portanto, vamos estar mais próximos de quem realmente somos.
Sim, e uma das chaves para permanecer neutro — porque existe uma diferença entre neutralidade intelectual e neutralidade emocional — é a compaixão. Isso os levará da mente ao coração. Não muitos dentre vocês têm dificuldades com a compaixão. Todos vocês são compassivos, cada um tem um portal. Talvez sejam os animais, o ambiente, questões raciais ou problemas sexuais, mas cada um de vocês tem seu próprio portal que os leva à compaixão. Vocês podem usar esse portal a princípio como se treinassem andar de bicicleta com aquelas rodinhas de segurança até chegar à compaixão, então em pouco tempo vocês serão capazes de fazer isto sem as rodinhas. Compaixão é a chave, porque então vocês estarão na neutralidade e fora da polaridade. É mais simples do que parece‚ só que a parte do treinamento com rodinhas é um pouco frustrante no princípio.

AS OUTRAS PARTES DO TEXTO

1   3   4  

ÍNDICE GERAL

Todas as páginas desta seção

FONTE DO TEXTO

(http://www.amaluz.com.br). Publicado originariamente na revista Amaluz, que não mais tem sido editada, embora fosse uma ótima publicação. Fazemos votos de que possa renascer, com a mesma qualidade de antes.




Google
 
Web www.eurooscar.com

www.eurooscar.com - Autor: Euro Oscar - © 2008
Direitos Reservados - Contato: eurooscar@gmail.com


Se veio até aqui por um link externo e não vê o menu fixo à esquerda, clique aqui, para melhor usar e controlar o site.


Página inicial do site