REVISTA AMALUZ - 37



O PORTAL DO PARADOXO - 3


CANALIZAÇÃO, em 15/ 10/ 1998:
GERMANE, ATRAVÉS DE LYSSA ROYAL



PARTE 3

Estou um pouco confuso sobre o fato de a compaixão ser o ponto central. Eu estava pensando em amor e ódio ou positivo e negativo. A compaixão é um tipo de (na minha cabeça, pelo menos) negativo em relação ao positivo do amor e um positivo em relação ao negativo do ódio. É quase como se a compaixão fosse a outra extremidade da própria polaridade, em relação a cada uma das idéias das outras extremidades do espectro.
Não se pode experimentar simultaneamente duas polaridades, exceto por meio da integração das duas, o que é diferente de experimentá-las como duas idéias separadas. Isto significa que vocês precisam ter um terceiro elemento para tirá-los da polaridade. Digamos que o terceiro elemento exista aqui em cima e forme um triângulo. Este terceiro elemento tem de ter uma conexão bem forte com ambas as polaridades para poder ser o portal. Isso significa que deveria conter amor, mas também teria de haver espaço para o medo, e o potencial para usar essas duas energias como combustível para criar o terceiro.


Você disse que vê a conexão entre compaixão e amor. Mas a compaixão também tem uma profunda conexão com o medo. Quando você estava andando pelo Parque da Paz, em Hiroshima, ou num campo de concentração, embora pudessem surgir muitas emoções diferentes, também há um profundo medo. Quer fosse medo da possibilidade de você ser vítima daquilo, quer de que o mundo está indo para o inferno bem depressa, seja lá o que for, vocês encontrarão medo entre as outras emoções. Então, este terceiro elemento tem de ser uma evolução dessas duas emoções.
Além da compaixão, pode haver outros tipos de evolução, todas as emoções, mas estamos nos concentrando na compaixão aqui porque é uma coisa do coração, e é nele que desejamos concentrar nossa energia. A idéia de compaixão é uma evolução. Se vocês tomarem amor e medo, ou até mesmo amor e ódio, e os desenvolverem como uma equação, obterão compaixão. A compaixão não é apenas uma extensão do amor, é uma extensão de outras emoções combinadas para criar um novo nível de ser.


Estamos enfrentando um desafio ao falar sobre isto, pois estamos tentando falar, usando as palavras e o intelecto, sobre algo que tem a ver com o coração. Quando tiverem essa experiência, entenderão bem melhor do que conseguimos transmitir em nossa tentativa de explicá-la.

AMOR/MEDO SIMULTÂNEOS
TRANSMUTAM A POLARIDADE

Realmente entendo isto melhor com minha alma do que com a cabeça.
Então brinquem com isto mais um pouco em suas próprias cogitações e meditações — e se vocês forem realmente valentes talvez queiram dizer a seu Eu Superior, seus guias: "Me proporcione uma situação na qual eu possa experimentar isto." Se vocês forem valentes. [Risos.]


Ah, este é um exemplo verídico, que de repente surgiu na cabeça da canal. Uma mulher foi fisicamente atacada. Obviamente, isto gerou um medo imenso na mulher, mas, de alguma forma quando, foi atacada (esta mulher estava muito aberta psiquicamente), tomou conhecimento da dor do atacante, que quando criança fora espancado ou maltratado ou coisa assim. E ela o amou. Naquele momento ela lhe deu amor, que é a polaridade contrária do medo. Enquanto ela experimentava medo, ele de repente se transformou — bumba! — em amor, que juntou as duas emoções formando compaixão. Naquele momento o assaltante lhe devolveu a bolsa e chorou como um bebê (esta história é verídica). Ele se desculpou por quase tê-la ferido (àquela altura ele não tinha batido nela) e se foi.


Neste exemplo começou-se numa polaridade e se passou rapidamente à próxima, indo-se a seguir para o coração por meio da compaixão, momento em que toda a realidade se modifica. Este é um exemplo tangível que pode estimular um pouco sua mente e coração. Vocês podem brincar com ele, sentir as nuanças emocionais desta experiência, que os conduzirá a uma compreensão cada vez mais profunda.


No decorrer dos anos ouvimos de vocês muitas histórias de experiências semelhantes, talvez não tão dramáticas, experiências nas quais vocês experimentaram algo emocionalmente, passaram à outra modalidade e ao coração — então toda a situação se modificou. Isso vai acontecer cada vez mais. A diferença é que vocês podem conscientemente mudar a situação se quiserem. Cada vez que estiverem passando por uma situação indesejável (talvez tenham chegado a um beco sem saída com um amigo), tentem se voltar para o amor ou compaixão. Coloquem-se no lugar dessa pessoa, sintam o que ela está sentindo. Isso os levará de volta àquele ponto central de paradoxo e abrirá a porta. Quando chegarem lá, a realidade se modificará. Contanto que tenham feito isso sinceramente, a realidade se modificará. À medida que vocês ficarem com mais prática, depressa começarão a ver como é eficaz.


Quão próximos são a compaixão e o perdão?
Depende da situação.


Estou pensando num campo de concentração onde as famílias tinham de testemunhar a mutilação de seus entes queridos. O único modo de conseguirem se desprender do ódio e da amargura que envolviam suas mentes era perdoando totalmente a outra pessoa. Eles muitas vezes encontravam a pessoa depois e experimentavam isso.


O perdão realmente pode ser um subproduto da compaixão. Vocês descobrirão que ele vem posteriormente, embora às vezes possa parecer simultâneo. Em certas situações, talvez não haja ninguém para perdoar, mas em situações como essa, quando se chega a esse ponto, o perdão é natural. Às vezes um terapeuta pode lhes dizer que vocês têm de perdoar uma pessoa. Bem, não se pode perdoar alguém como se faz uma sopa. Não existe receita. Primeiro vocês devem prestar o compromisso emocional de se voltar para a compaixão ou o coração, e então tudo se esclarecerá a partir daí. Não se trata de algo que se possa controlar daqui [cabeça], e sim de algo com que nos comprometemos por meio do coração.

GIZÉ E MARTE E A MALHA

Pode estabelecer algum tipo de conexão entre o Planalto de Gizé e a região de Cidônia em Marte, se é que existe conexão?
Certo, mudança de marcha aqui. Assim como vocês têm especializações em seu mundo, nós também temos certas especializações, então nos vemos limitados quanto ao que podemos lhes contar. Obviamente, existe uma conexão entre vários dos locais sagrados de seu mundo, principalmente Gizé, Avebury e um local muito distante na China que, acreditamos nós, não foi estudado até o momento. Esses três são conectados principalmente com a área de Cidônia. Existe também um local na sua lua. Estes diferentes locais têm relação com muitas coisas diferentes. Quando uma civilização extraterrestre chega num planeta, ela dispõe de métodos para mapear a estrutura de malha, a linhas ley de energia, a geometria do planeta, podendo encontrar os "pontos de acupuntura" muito específicos do planeta. Esses pontos focais são usados para alterar o planeta de muitas formas diferentes, seja a rotação do planeta, padrões climáticos, até mesmo seus campos geométricos. Eles são como pontos de acupuntura mestres. Esses pontos de acupuntura principais podem ser vinculados de planeta a planeta a planeta, de forma que quando um ponto for alterado num planeta, serão alterados os pontos por toda a malha interplanetária. Entende o que queremos dizer com isso?


Sim.


Em tempos muito antigos, os tempos registrados em suas histórias sumerianas, quando os deuses de várias civilizações lutavam pela posse da Terra e do sistema solar, a administração da Terra neste sistema passara por muitas mãos diferentes. Estes pontos diferentes se conectavam por meio de uma estrutura de malha, de forma que o poder vigente pudesse ter mais controle sobre não apenas um corpo planetário, e sim todo o sistema. O que você estava perguntando especificamente?


Esta malha entre a lua, Marte e a Terra pode ser reativada e utilizada de alguma maneira?
Sim, pode, contudo, neste momento certamente não o recomendaríamos, pois trata-se de uma ferramenta extremamente poderosa que, sem dúvida, seria usada de forma indevida neste momento. As crônicas que vocês têm de seus deuses, sejam dos sumerianos, sejam de outras civilizações ao redor do mundo, sempre falaram das lutas internas entre os diferentes grupos extraterrestres e famílias reais. Havia um grupo de seres — poderíamos chamá-los seres travessos — provenientes de famílias reais diferentes que se empenhavam em proteger a Terra, de forma que a administração da Terra acabaria ficando em mãos humanas. Ao longo do tempo, estes travessos freqüentemente desmontavam ou desalinhavam alguns destes locais sagrados, de modo que eles não pudessem ser indevidamente usados, como se modificassem a combinação de um cofre. Em certo grau, a combinação foi mudada em Gizé, Cidônia, Avebury e alguns dos demais locais de seu mundo. A nova combinação (isso foi feito em tempos antigos) não será revelada até que se garanta que a administração deste planeta se encontra em mãos seguras e capazes e não em mãos voltadas ao eu e ao poder.


O que há dentro do cofre? Muitas coisas — chaves para libertar energia, das viagens interdimensionais, é só dizer. Todo o universo é construído com base em energia, e a energia pode tomar a forma física por meio da geometria, de linhas ley e assim por diante. Quem conseguir dominar estas coisas dominará o universo. Isto é em parte o problema da queda da Atlântida — um pouco de uso indevido.

A LUTA PARA CONTROLAR A TERRA

Quem está comandando o espetáculo agora?
Sabem, nos perguntam muito isso. Depende da pessoa a quem vocês perguntam [risos]. Afinal, todos vocês saberiam e concordariam que Deus, seja lá quem for que vocês queiram chamar Deus, está comandando o espetáculo — aquele campo unificado que sabe tudo visa ao bem maior e permite que a polaridade se manifeste porque sabe que a polaridade acabará por encontrar o portal do paradoxo e voltará ao coração. Vocês sabem que é Deus quem fica, no final das contas, no controle. Em sua realidade (sabemos que vocês gostam de hierarquia), isso torna as coisas um pouco mais organizadas em sua cabeça. Em nossa existência não há hierarquia, mas queremos deixar bem claro que quando descrevemos hierarquia, é simbólico, para que vocês compreendam, não é algo literal.


Abaixo de Deus, por assim dizer, temos outros seres fragmentados a partir de Deus que ainda trabalham para o bem maior. A seguir, temos outros seres abaixo deles, e quanto mais perto se chega do que vocês poderiam chamar realidade fisicalizada, tem início a fragmentação. É daí que se sucede a luta territorial. Se vocês forem ao nível apenas dos seres em forma física e perguntarem quem está no comando, não existe um único grupo — eis parte do problema.

Vocês têm suas novelas na televisão, e um belo dia dizem: "Me conte a história desta novela. Me conte numa frase." Mas tudo está tão embrulhado, inclusive os relacionamentos. É isso exatamente que está se passando. Há grupos de seres extraterrestres aliados de forma reincarnacional a grupos de ETs humanos no planeta agora, misturados em seu mundo e lutando pelo controle, que antes eram os supervisores-chefes. Trata-se basicamente de uma pancadaria generalizada. Esta é a razão‚ em parte, do caos reinante neste momento. Todo mundo está manobrando para ganhar uma posição, como dizem vocês. No entanto, mesmo os seres que são muito conscientes espiritualmente mas ainda estão manobrando para atingir uma posição sabem que o tempo da polaridade e separação está se esgotando, e muitos deles, mais ou menos nos últimos sete anos, saíram desta realidade porque sabiam que era uma causa perdida.


Sabiam que a integração acabará por acontecer. Já está em andamento, só é difícil de ver. Vai ficar muito mais caótico antes da unificação, mas a unificação acontecerá com o tempo.


Quem são os protagonistas? Podemos citar nomes, contudo, é como dizer, o que é um americano? Bem, há americanos afro-americanos, há americanos sino-americanos, há americanos de todos os formatos, tamanhos e cores. Poderíamos dizer: "Sim, há seres de Sírius, seres de antigos vínculos com Lira, Órion e assim por diante." Todas seriam respostas verdadeiras, mas já não se trata de uma coisa racial ou de espécie, é uma separação ideológica existente agora entre grupos que desejam que a administração da Terra vá para os humanos contra outros grupos que desejam que a administração da Terra fique com outros grupos. No passado tantos grupos extraterrestres emprestaram sua genética para criar todos vocês, que muitas destas facções acreditam ter o legítimo direito de administrar a Terra. A chave é que quando a humanidade despertar e reivindicar sua própria administração, nada disto terá importância.

RESTANTE DO TEXTO

1   2   4  

ÍNDICE GERAL

Todas as páginas desta seção

FONTE DO TEXTO

(http://www.amaluz.com.br). Publicado originariamente na revista Amaluz, que não mais tem sido editada, embora fosse uma ótima publicação. Fazemos votos de que possa renascer, com a mesma qualidade de antes.




Google
 
Web www.eurooscar.com

www.eurooscar.com - Autor: Euro Oscar - © 2008
Direitos Reservados - Contato: eurooscar@gmail.com


Se veio até aqui por um link externo e não vê o menu fixo à esquerda, clique aqui, para melhor usar e controlar o site.


Página inicial do site