Belas Orações - 1

Crê no Teu amigo invisível, que te põe à prova porque te quer mais forte, mas sempre te protege. E olha atentamente, pois às vezes é justamente naquele livro, que o "acaso" pôs bem à tua frente, que está a tua solução, o teu recomeço, o teu milagre. Sim há muitas dificuldades, mas essa é atua provação. Um pouco mais de paciência, perseverança, até a tua vitória.

O Pai-Nosso, em Acróstico

Criador nosso que estais em todos e em tudo.
Abençoado é o Vosso transcendente nome.
Reine em nós o Vosso amor, com todo o seu conteúdo.
Impere a Vossa vontade, sempre, e nos dome.
Dai-nos hoje o nosso alimento físico e o espiritual.
Apagai e perdoai as nossas ofensas, dívidas e pecados,
Do mesmo modo como perdoamos a quem nos fez mal.
E não nos deixeis ser por nenhuma tentação dominados.
Sede o nosso escudo, contra a fome, o mal e os malvados.

(Na última linha se recapitulam todas as rimas anteriores).
(Autor: Euro Oscar (cópia permitida citando-se o autor e este site)

Uma Oração dos Irlandeses

Que a estrada bem te receba para a tua jornada,
Que uma suave brisa sopre às tuas costas.
Morno e suave o sol brilhe na tua face.
Que a chuva caia devagarinho nos teus campos.
Brevemente nos reencontraremos.
Até lá, que Deus te abrigue na palma da Sua mão.

(Com uma pequena adaptação de Euro Oscar)

Resplandeça a Vossa Presença

Enriquecei-me, Senhor, com toda a Vossa graça,
Ungi-me com Vossa Justiça, verdade e proteção!
Resplandeça a Vossa presença em tudo que eu faça...
O Sol continua lá, quando as nuvens passam ;
O escuro da noite é onde mais brilha a luz de Deus.
Solucei: "tudo se acabou!" Não! E logo ressurgiu a manhã!...
Cai de novo a noite! Velai-me, Altíssimo, até a feliz aurora!
Abençoai os puros, endireitai e perdoai os maus, paz a todos!
Restabelecei, Senhor, todas as verdades na Terra.

Como Orar Corretamente?
(Da tradição Sufi)

Nasrudin, precisava do seu burrinho, para algumas tarefas, mas o havia emprestado. Não seria possível cumprir a sua tarefa, sem o seu prestimoso animal. Desanimado, lembrou-se de pedir a Deus uma solução, e começou a orar, para que lhe viesse um burrico. Foi caminhando e rezando.

No meio de uma trilha se depara com um homem de semblante severo, com dois burrinhos: montado num deles e puxando o outro, menor, por uma corda. Nasrudin se acercou do viajante e esse lhe afirmou:
- Ó homem desocupado, estou trazendo um burrico de tão longe, estamos todos extenuados, e você poderia pôr esse burrinho nas costas e o trazer conosco até a mais próxima vila.

Com uma adaga em punho lhe intimou: Depressa, homem! Ajeite-o nas suas costas, para chegarmos lá antes do anoitecer.

Nasrudin, temeroso, calou-se e obedeceu. E os quatro seguiram a sua jornada. Nasrudin ia atrás, trôpego. Depois de diversas horas chegaram a uma aldeia. Nasrudin, de tão cansado, quase não se aguentava em pé. O rude desconhecido nem agradeceu e pediu que Nasrudin voltasse. Então, Nasrudin levantou os seus olhos para o céu e desabafou:

- Deus meu! Que lição acabei de aprender! Não basta pedir algo, vagamente, porém explicar como e para que finalidade.


(Pesquisa, seleção e revisão de texto: Euro Oscar.)

Próxima (2) | Índice


Buscar no Site

Buscar na Web