Belas Orações - 8

OS QUE CRÊEM

Felizes os que não Te viram
e creram em Ti.
Felizes os que não contemplaram
Teu semblante
e confessaram Tua divindade.
Felizes os que, lendo o Evangelho,
reconheceram em Ti
aquele a quem esperavam.
Felizes os que, em Teus enviados,
divisaram Tua divina presença.

Felizes os que, no segredo, de seus corações,
escutaram Tua voz e responderam.
Felizes os que,
animados pelo desejo de tocar Deus,
encontraram-Te no mistério.
Felizes os que, nos momentos de escuridão,
aderiram mais fortemente à Tua luz.
Felizes os que,
desconcertados pela provação,
mantêm sua confiança em ti.
Felizes os que, tendo a impressão
de que estás ausente,
continuam a crer em Tua proximidade.
Felizes os que não Te viram,
mas vivem a firme esperança de Te ver um dia.
Amém.

(Autor: Frei Ignácio Larrañaga )

GRATIDÃO POR UM(A) FILHO(A)

"Chegou,
E a casa se preencheu toda de perfume.
Parece que é primavera.
Enviastes-nos, Senhor, um presente desejado e sonhado:
Uma criança nos veio...
Que seja muito bem-vinda!

Com que palavras Vos daremos graças,
Senhor da vida, com que palavras?
Muito obrigado pelos seus olhos e pelas suas mãos,
Muito obrigado pelos seus pés e pela sua pele,
Muito obrigado pelo seu corpo e pela alma que o habita.
Em Vossas mãos de ternura a depositamos,
Para que sempre cuideis dela e a crieis com amor
E a enchais de divina doçura.

Altíssimo Pai, Santo e querido, ponde um anjo ao seu lado,
para que a guarde contra todas doenças,
e a defenda contra todo o mal,
E a guie sempre com saúde e alegria.
Que todo o bem, toda a paz e todas as bênçãos a acompanhem sempre,
e tenha uma vida longa e feliz.
Amém."

(Autor: Frei Ignácio Larrañaga, adaptado por Euro Oscar)

RÉQUIEM PARA UM SER QUERIDO

Silêncio e Paz.
Foi levado para o País da Vida.
Para que fazer perguntas?
Sua morada, desde agora, é o Descanso,

Sua roupa é a Luz. Para sempre.
Silêncio e Paz.
Que sabemos nós?
Meu Deus, Senhor da História
e dono do ontem e do amanhã,
em tuas mãos estão as chaves
da vida e da morte.

Sem perguntar-nos, levaste-o contigo
para a Morada Santa,
e nós fechamos nossos olhos,
baixamos a fronte e simplesmente dissemos:
Esteja bem. Seja. Silêncio e Paz.

A música foi submergida nas águas profundas,
e todas as nostalgias gravitam
sobre as planícies infinitas.
Acabou-se o combate.
Para ele já não haverá lágrimas,
nem pranto, nem sobressaltos.

O sol brilhará para sempre em seu rosto
e uma paz intangível
assegurará definitivamente suas fronteiras.
Senhor da Vida e dono de nossos destinos,
em tuas mãos depositamos silenciosamente
este ser querido que foi embora.

Enquanto, aqui embaixo, entregamos à terra
seus despojos mortais transitórios,
que sua alma imortal
durma para sempre na paz eterna,
em teu seio insondável e amoroso,
ó Pai de Misericórdia.
Silêncio e Paz.

(Autor: Frei Ignácio Larrañaga)

Próxima (3) | Índice | Anterior (1)


Buscar no Site

Buscar na Web