Parábolas Budistas - 23


O Elefante Embriagado

Cerca de 3000 anos atrás, na Índia Central, o Buda Sakyamuni sofreu nove perseguições durante toda a sua vida, por propagar o Budismo em vez do Bramanismo. Aqui está uma delas, na qual Sakyamuni foi atacado por um elefante enfurecido.

O rei Ajase matou seu pai e tomou posse do trono, sendo induzido pelo perverso mestre Daibadatta. Mais tarde, ele tentou matar o Buda Sakyamuni e instituir Daibadatta como um novo Buda.

Um dia Sakyamuni permaneceu num castelo com seus 500 discípulos. Nesse meio tempo o rei Ajase tinha preso um enorme e feroz elefante. Daibadatta veio ao rei Ajase e o instigou: "Majestade! Por que não manda embebedar o elefante e soltá-lo quando Sakyamuni for pedir donativos para a nação? Assim, nós veremos Sakyamuni ser pisado até a morte."

Ouvindo isto, Ajase ordenou a todo o povo da nação que não saíssem de casa. O rei Ajase e Daibadatta preocuparam-se, no entanto, que, se Sakyamuni tinha o poder de ver através do futuro, ele não sairia às ruas de manhã. Algumas pessoas, no entanto, ouviram a conspiração e alertaram o Buda: "Por favor, fique em casa amanhã de manhã e não vá ao castelo. Se o senhor for ferido pela conspiração de Daibadatta, nós não seremos melhores do que homens cegos. Ninguém nos poderá salvar." Entretanto Sakyamuni respondeu calmamente: "Não se preocupem por mim. O poder do Buda é místico. Ninguém poderá me fazer mal."

Na manhã seguinte, Sakyamuni entrou no castelo do rei com seus 500 discípulos, com grande dignidade, para preocupação de muita gente. O rei ordenou então ao tratador do elefante deixar o feroz animal tomar vinho e correr às soltas com um espada em sua tromba. Quando o ébrio animal investiu contra Sakyamuni todos os seus discípulos, exceto Anan o desertaram. No momento decisivo, quando todo o povo assistia ao desenlace do acontecimento, algo estranho aconteceu. O ébrio elefante parou diante de Sakyamuni e se ajoelhou.

Certamente, o elefante ficou profundamente tocado pela dignidade do Buda. Sakyamuni falou ao animal: "Não deves tentar ferir o Buda, se quiseres nascer na terra prometida na próxima existência." Finalmente, o elefante deixou cair a espada de sua tromba.


Preciosa Colaboração de Lúcia Ferreira de Moraes, São Paulo.
Extraída da Revista Terceira Civilização, de abril de 1976.

Próxima (24)   Índice   Anterior (22)

Fonte do Texto

As Mais Belas Histórias Budistas, página criada por Sandro Neto Ribeiro.
http://www.vertex.com.br/users/san e
http://www.maisbelashistoriasbudistas.com/historia.htm

Pesquisar só neste Site

Pesquisar em Toda a Web

www.eurooscar.com  -  eurooscar@gmail.com
©Todos os Direitos Reservados

Política de Privacidade     Privacy Policy

Se não vê o menu esquerdo de navegação clique aqui.

Only if you are not seeing the left navbar click here.

Home