O TAO DO OCIDENTE
PÁGINA 15

PALAVRAS DE SABEDORIA
(continuação)

15- "Assim como não se enche um vaso mais do que sua capacidade, assim nós temos nossos próprios limites."
O sucesso que eventualmente alcançamos, tem muitas vezes a conseqüência de encher o nosso ego de um sentimento de auto-suficiência, que é multiplicado por uma natural vaidade. E isto não é bom. E não é bom porque efetivamente na próxima vez que tivermos que tocar em um assunto um pouco mais complexo, talvez não tenhamos estofo para o expor tão bem. E aí vem uma sensação de frustração muito desagradável. Podem acontecer então duas coisas: ou nós tomamos consciência de nossa própria limitação e ignorância, ou mergulhamos cada vez mais fundo em nossa própria insensatez. Alguns estudiosos afirmam que o cérebro humano tem uma capacidade muito maior do que a que ele desempenha. Por outro lado, a prática tem mostrado que temos mais facilidade para determinados assuntos e mais dificuldades para outros. Existem certos testes psicológicos que têm como objetivo verificar exatamente estes pontos: o poder de lidar com fatos abstratos, habilidades manuais, memória, frustrações, criatividade, etc.


O erro não está em se ignorar uma coisa, já que isto é fato perfeitamente normal. O mal está na falsa auto-suficiência. O orgulho impele certas pessoas a assumir tarefas para as quais não estão preparadas, e talvez nunca venham a estar. Não é à toa portanto, que o sábio delega constantemente. A sua competência nesta área é tão notável que é comum que muitas pessoas os acusem de inatividade. Tal observação é obviamente movida por má-fé ou ignorância. Os melhores chefes delegam não por ignorar o assunto, mas para que seu papel de supervisão seja efetivamente exercido na obtenção de resultados eficazes. Saber nossos limites é a modéstia na busca da perfeição.


16- "Depois das homenagens, o caminho indica o desapego às recompensas."
Cada um de nós tem valores e méritos. Ninguém deixa de possuí-los. Esta verdade preserva a harmonia geral. E é exatamente por isto, que a observação acima se aplica a todos. Cada vez que nos aprofundamos em nosso entendimento do Tai Chi, o símbolo do equilíbrio universal, a seqüência de um fato nos parece mais clara, ou pelo menos mais aceitável. Em suma, fica patente o outro lado da moeda.


No tema aqui abordado, fala-se em homenagem, em reconhecimento, elogio, etc. E aí, como exercício, podemos nos perguntar o que deveria acompanhar aquela homenagem a nós prestada, de forma que nossa harmonia interna fosse preservada; que não fôssemos tomados por um vulgar sentimento de vaidade ou de orgulho menor. Existem muitas pessoas que apoiadas em um elogio muitas vezes merecido, tornam sua tarefa constante a de trabalhar e fazer tudo para continuar recebendo homenagens, mesmo que imerecidas. É a forma de alimentar o seu ego que cada vez mais incha, tornando esta pessoa profundamente egoísta, quando despreza os passos éticos ou morais que medirão sua caminhada rumo ao que chama sucesso.


17- "Quem é sábio, não precisa de erudição."
Durante nossa vida, acumulamos conhecimentos que, espera-se, algum dia serão de valia. Numa formação completa, passamos pelo ensino elementar, que fornece os conhecimentos mínimos para nossa sobrevivência. Em seguida por um segundo ciclo, responsável pelo aperfeiçoamento das armas com as quais enfrentamos o mundo e nos dá a base para nos profissionalizarmos no ensino universitário. São quase 2O anos de estudo formal. Consta que os antigos gregos, estudavam além da aritmética e da linguagem, poesia e filosofia. Este povo, de estudo limitado, nos deixou não obstante, figuras da maior estatura, notáveis representantes da raça humana. O Tao-Te-Ching, ao repetir certos temas como este, não está sugerindo que se deva desprezar o estudo formal e a erudição.


Não é isto. A citação apenas nos alerta para o perigo que representa confundir uma coisa com outra. Sabedoria, não depende de cultura ou de conhecimentos de alto nível. Também o erudito não é necessariamente um intelectual, nem o ignorante será, por esta razão, um sábio. A sabedoria é o acúmulo de experiência de vida e de intuição. Como é possível atingir-se um estado de sabedoria? Isto é conseguido com a idade, com a vida e com a mente aberta para o intuitivo. Supletivamente por uma coisa mágica chamada iluminação.


A iluminação é um carisma, um dom recebido, que permite ao indivíduo perceber a síntese sem necessidade de fazer a análise; sentir o todo sem dividi-lo nas partes. Um sábio, iluminado ou não, sente que a erudição, por maior e mais primorosa que seja, não cobre todas as necessidades do ser humano. Daí dedicar-se com igual empenho, na busca daquele estado que o permita apontar um problema, e ver sublimada a resposta.

Próxima  Anterior

Todas as páginas

01  02  03  04  05  06  07  08  09  10  11
12  13  14  15  16  17  18  19  20  21  22
23  24  25  26  27  28  29  30  31  32  33
34  35  36  37  38  39  40  41  42  43  44

FONTE DOS TEXTOS

O TAO DO OCIDENTE
Direitos reservados © 2000
P. G. Romano
pgromano@hotmail.com
A quem felicito e muito agradeço por permitir
que esta excelente obra seja aqui veiculada
para divulgar ensinamentos profícuos, edificantes.



Sorria ao acordar
e antes de dormir!

Muito obrigado pela visita,
veja sempre as novidades!


/p>





Google
 
Webwww.eurooscar.com








Se não vê à esquerda o menu
rolante do site, clique aqui.

If you do not see the left
scrolling menu, click here.





Home