O Tao do Ocidente - 14


Palavras de Sabedoria:
12 (fim), 13 e 14)


12 - A virtude é como a água, modesta em sua adaptação.
Na citação o verbo adaptar tem o sentido de envolver, como um envoltório. Por exemplo: se você é um professor, sua didática deve se adaptar às circunstâncias ou ainda, deve envolver cada aluno em seu aspecto global. Imagine o indivíduo mais arrogante e vaidoso que você já conheceu. Um diálogo com seus subordinados poderia ser alguma coisa do tipo: - Sua produção está muito baixa! - Estou com sério problema na família... - Isto é problema seu, eu quero produção! Isto não é nem firmeza e muito menos adaptação. Isto é estupidez. Se a observação fosse: - O que estásucedendo? Quem sabe a gente pode ajudar?...

Isto é o que o Tao-Te-Ching chama de virtude e modesta adaptação. Infelizmente é bastante comum vermos pessoas chegarem a um posto de mando e passarem a confundir poder com tirania. Toda sua postura anterior de democrática flexibilidade, de preocupação e generosidade, some diante de um salário um pouco maior ou da insana vaidade de se julgar o dono do poder. Existem algumaspalavras-chaves no processo de crescimento e uma delas é flexibilidade.

13 - "O homem feliz é prestativo no dar, sincero no falar, suave no conduzir, sereno no agir."
Você quer ser feliz? Claro, e quem não quer? Preste atenção na receita de valores harmônicos que se segue: Seja prestativo - Não negue sua ajuda a quem a pede. Se você pode ajudar, ajude. Fique alerta no entanto para não pôr lenha na fogueira da injustiça social. A caridade na forma de esmolas é uma praga, que tira a culpa de quem dá emantém na desgraça quem recebe. Ensinar, ajudar, orientar, conseguir, são exemplos de prestatividade. O indivíduo verdadeiramente prestativo não se engrandece nem se humilha. Seja sincero - São tantas as pessoas insinceras e mentirosas que até existe esta frase preparada para elas: "A quem você pensa que está enganando?"

A mentira cedo ou tarde será descoberta e ninguém fica impune. E não fica mesmo, é só uma questão de tempo. Ser sincero é o mesmo que ser coerente, e ser coerente é ser justo consigo próprio. Para alcançar a felicidade um grande entrave é o auto-flagelo da mentira, da falta de sinceridade. Quando você diz coisas que não sente, no intuito de agradar, o preço que será pago será sua própria subserviência. Evidentemente não devemos confundir sinceridade com arrogância, estupidez ou falta de tato. Você pode e deve ser sincero, sem assumir nenhuma dessas atitudes. Seja suave - isto me lembra de que um presidente americano dizia: "Fale manso e carregue um porrete".

Suavidade ou mansidão não significam passividade bovina, nem porrete presidencial. Quando você leva seu interlocutor a aceitar conscientemente suas ideias, isto é ser eficiente. Se além disso você tem a característica da fala suave, o resultado será ainda mais notável. Todo mundo gosta de ser bem tratado. Seja sereno - Aí está uma característica tão importante que mereceria todo um livro. A serenidade, nos pensamentos e nas ações, é um requisito básico a quem aspira o crescimento pessoal. A quietude da mente dá espaço para a atuação do Tao reequilibrante. A quietude do corpo é aumentada e multiplicada pela ação do Tao harmônico. E isto não é fantasia. Você pode experimentar a qualquer momento, agora mesmo, e ver de imediato os resultados. Feche suavemente os olhos, relaxe o corpo como puder e desligue sua mente. Aguarde um ou dois minutos. Logo, logo você vai sentir o efeito da reordenação que o Tao promove.

14- "O sábio não luta para impor suas ideias e por isto é inatacável."
O que é melhor e mais eficiente? Tentar convencer o mundo de que você é um gênio, ou simplesmente deixar que o tempo e as situações se encarreguem disso? Achar-se um gênio é uma coisa um tanto extravagante nos dias de hoje; lembra-se de Dali? Convencer os demais disto é mais tolo ainda. Quem sabe, não precisa dizer que sabe. Quem é, não precisa afirmar coisa alguma. Os exemplos, as atitudes e as palavras, são o passaporte do homem realmente grande. É admirável ouvir-se uma palestra desta gente. As palavras fluem com tal naturalidade e segurança, com tanta consistência e decência, que não há lugar para empavonamentos temáticos, nem para dúvidas do ouvinte. Gente assim dignifica a raça humana.

Conheci um professor na faculdade, que literalmente me hipnotizava. Era honesto, competente, bem humorado e carismático. Por alguma razão, que na ocasião eu não sabia explicar, sentia uma forte necessidade de frequentar suas aulas. Faltava às demais sem nenhum constrangimento e até a faculdade me era indiferente. Por que eu agia assim? Estou convencido de que eram as suas qualidades como ser humano que me atraíam, nada mais. Muitos anos mais tarde, fiquei sabendo que aquele professor era um respeitado estudioso das coisas do espírito, dono de vasta cultura e sabedoria, além de autor de muitos livros importantes. Hoje tenho uma enorme satisfação de ter convivido um semestre com esta notável figura humana.

Se todas nossas ideias forem expostas com clareza, consistência, seriedade e modéstia, quem precisa brandir outras espadas que não a do real conhecimento? São estas pessoas de grande sabedoria que justificam todos os esforços direcionados ao aperfeiçoamento pessoal. E estas pessoas são de fato inatacáveis, porque não há nada, nada que diminua seu brilho.


Próxima (15) | Anterior (13) | Índice


Fonte do Texto

O Tao do Ocidente.
Direitos reservados © 2000.
P. G. Romano.
pgromano@hotmail.com
Agradeço a esse autor por permitir que esta edificante obra seja aqui veiculada, para o bem de todos.


Buscar no Site


Buscar na Web


Home